Futebol

Basquete: Chamado de ‘traidor’, Marquinhos minimiza reencontro hostil com a torcida do Urubu | NETVASCO

Basquete: Chamado de ‘traidor’, Marquinhos minimiza reencontro hostil com a torcida do Urubu Terça-feira, 09/01/2024 – 14:34 Pela primeira vez desde que acertou com o Vasco, Marquinhos encarou a torcida do Flamengo. E a recepção não foi nada amistosa no Maracanãzinho. Durante a vitória do Fla por 84 a 79, na noite de segunda-feira (8), os rubro-negros vaiaram, chamaram o jogador de “mercenário” e ainda estenderam uma faixa com a palavra “traidor”. O ala de 39 anos, no entanto, garante que as provocações vindas das arquibancadas não afetaram o desempenho em quadra. – Eu tive essa torcida ao meu lado durante nove anos e sei muito bem a influência dela nos jogos. Hoje, eu estou no rival. Faz parte. A partir do momento em que a bola sobe, você tem que pensar no seu próprio desempenho. Foi o que fiz, não deixando as coisas de fora da quadra interferirem. Fui eliminado por faltas e não queria, porque estava focado em ajudar o Vasco. Mas fizemos um jogo vistoso, e saio muito orgulhoso – disse, após o clássico. Marquinhos defendeu o Flamengo por nove anos, entre 2012 e 2021. No período, foram 19 títulos, incluindo seis do Novo Basquete Brasil e um da Copa Intercontinental. Pelo Rubro-Negro, ainda se tornou o único a vencer por três vezes o prêmio de MVP do NBB, em 2013, 2016 e 2018. Depois de deixar o Flamengo, sem acordo por renovação, Marquinhos foi para o São Paulo. Em 2023, iniciou a segunda passagem pelo Vasco (a primeira tinha sido em 2003) e virou referência na volta do time ao NBB. Com média de 12,8 pontos por jogo no campeonato, marcou 10 contra o Rubro-Negro, mas acabou expulso no último quarto, ao fazer a quinta falta. – Não gosto de criticar a arbitragem, mas é difícil. Eu e Eugeniusz, que chamamos o jogo, fomos eliminados por faltas. Isso faz uma enorme diferença. No momento em que estava pau a pau, uma equipe tocava, e era falta. Outra tocava, e não era falta. Isso vai minando a partida. Eu acho que o Vasco foi minado por não ter um elenco grande como o do Flamengo, e isso fez a diferença no final – reclamou o ala, que ficou em quadra por 15 minutos. Apesar da insatisfação com os critérios da arbitragem, Marquinhos fez questão de elogiar a campanha do Vasco. Quarto colocado até o momento, o time tem 13 vitórias e seis derrotas em 19 rodadas do NBB. Ainda está classificado para a Copa Super 8, que começará no fim de janeiro. – Se eu fosse o torcedor vascaíno, teria orgulho desse time. O Vasco vem fazendo um campeonato brilhante – afirmou. Opinião de ex-companheiro Além da torcida, Marquinhos reencontrou Olivinha, companheiro de toda a trajetória no Flamengo e com quem tinha jogado também no Pinheiros. O camisa 16 rubro-negro falou sobre o tratamento recebido pelo ala do Vasco no Maracanãzinho. – A recepção já era esperada. Ele assinou com o Vasco, que é o nosso maior rival. Então, a torcida ficou bem ressentida, e isso faz parte. Eu respeito a escolha que ele fez, tem que seguir a carreira. A gente trocou uma ideia no início e, durante o jogo, teve um embate. Falei para o Marquinhos que desejava sorte na caminhada, menos contra o Flamengo. Deu certo – contou, aos risos. Torcida do Flamengo exibe faixa de ‘traidor’ para Marquinhos — Foto: Flávio Dilascio Fonte: ge

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *